Safra
Discografia Composições Fora da Série Notas musicais Rádio

Músicas de Xico Bizerra que não constam em nenhum de seus Forroboxotes

MÚSICA COMPOSITOR(ES) INTÉPRETE(S)
ÁGUA BENTA Ver letra Xico Bizerra e Leninho Jesuino - Leninho
na soleira do meu peito escanchou-se uma saudade
na lembrança eu sentia um gostinho de bombom
quando eu tinha o seu batom todo dia em minha boca
e o teu cheiro de cabocla, meu deus, como era bom

me bateu uma tristeza meus ‘oio’ virou açude
fez do meu coração rude sangradouro por te amar
vou colhendo esse penar da alegria que plantei
até quando eu não sei, até quando tu voltar

meu coração escancarado, acelerado, quase implora pra te ver
não se demore, vem correndo, vem agora,não piora esse sofrer
há muito tempo ‘tá vazio o meu abraço
e o meu braço ‘tá que ‘tá que não se agüenta
não se demore, vem correndo pro meu lado,
vem ser minha água benta
A BOA MÃE Ver letra Xico Bizerra/Bebé Natércio Irah Caldeira; Tiziu do Araripe
a luz lá do alto sobre ti desceu
oh santa maria que deus escolheu
minh’alma se encanta na tua canção
cantar de maria – mãe da salvação

concebestes o filho sem pecado
o bendito fruto do amor
do teu ventre veio o mais amado
rogai por teu povo pecador

maria das graças
maria das dores
traz a nos a benção dos amores
A FELICIDADE VEM Ver letra Xico Bizerra e Junior Vieira Joana Angélica - Ribeiro Filho c Part Santanna
prá que brincar de solidão?
meu coração não é caixa de segredo
não aguenta essa maldade
e quando bate a saudade
fica morrendo de medo

e aí vem desassossego
o juízo pede arrego
quase em tempo de endoidar
e o sujeito vai deitar pensando nela
ta na cama e o cheiro dela não lhe deixa cochilar

a solidão mata a força e tira a fé
e o caboco só quer encontrar quem lhe quer bem
e quando o amor bate a porta do seu peito
meu amigo, não tem jeito a felicidade vem

ê ô a felicidade vem
ê ô a felicidade vem
ê ô a felicidade vem
a tristeza vai embora e a felicidade vem
A JANELA DA CASA DO TEMPO Ver letra Xico Bizerra e Publius Lentukus Gonzaga Leal e Cida Moreira
o tempo esqueceu u’a janela aberta
e a saudade incerta invadiu sua casa
paredes e tetos sentiram a presença
sem pedir licença viram seu chorar
o seu calendário de datas perdidas
de luas dormidas e sóis acordados
é sonho sonhado que não sonha mais
um barco à deriva em busca do cais

o tempo sentou-se em sua cadeira
sem eira nem beira pôs-se a pensar
em pedir a si mesmo que volte no tempo
e lhe ensine de novo o verbo amar

caprichosa é a mais mentirosa verdade
desse tempo cruel e tão transformador
que inventa milênios de tanta saudade
para tão poucos segundos de amor
A ROSA, O PEIXE E A CHUVA Ver letra Xico Bizerra/Bráulio Medeiros Joana Angélica c Part Santanna
deixe que a estrada me ensine
me mostre as pedras do caminho
deixe que um passarinho
cante pra mim, faça um acalanto

deixe o campo se enfeitar de flor
feito cabelo da menina
deixe o sedento declarar o amor
olhos nos olhos da cacimba

deixe na mão do mundo
seu lápis de cor
deixe tudo do ‘jeitim’ que deus criou
um rosto pra cantar
a boca pra querer
os olhos pra sorrir
e o coração pro amor

nunca vi o mar com sede
nem o sol sentir calor
nunca vi faltar o mel
no bico do beija-flor
nunca vi u’a borboleta sem querer voar
não existe homem que não queira amar

deixe a rosa espinhar
deixe o peixe nadar contra a correnteza
deixe a chuva ajudar a encher o mar
é da natureza
A ROUPA DA NATUREZA Ver letra Xico Bizerra Ronaldo Aboiador
nunca vi nada mais lindo
do que um céu se nublando
é são pedro anunciando
a chuva que já ‘tá vindo
o sertão fica sorrindo
tudo vira uma beleza
é são josé, com certeza
mandando que o céu chore
de verde a chuva colore
as vestes da natureza

quando pinga um gotejo
ainda que seja neblina
mesmo sendo chuva fina
é festa pro sertanejo
ele vê e eu também vejo
a comida em sua mesa
esperança fica acesa
alegria se avizinha
a chuva deixa verdinha
a roupa da natureza

e se tudo ‘ta florado
o inverno garantido
o feijão pra ser colhido
e o milho penduado
na igreja, ajoelhado
se agradece a formosura
de uma casa com fartura
faz-se prece em louvor
da chuva que esverdeou
a roupa da mãe natura

e o pinga-pinga pingando
cada gota é um tesouro
são vários quilos de ouro
o terreiro aguando
vendo a lavoura florando
o caboco, satisfeito
se ajoelha, mão no peito
agradece, bem contrito
pela trajar, tão bonito
verdinho, daquele jeito
ACALANTO P JOÃO BATISTA Ver letra Xico Bizerra/Bebé Natércio Mayra Montenegro; Maria Flor
dorme meu filho de deus que veio testificar
és o milagre em mim sonho pra realizar
que a sombra do amor maior viestes profetizar

dorme meu mel que o céu
só te trará sonhos bons
as harpas celestiais enviaram os seus sons
para que te fortaleça
em deus com todos os seus dons

dorme meu filho querido
que é grande a tua missão
anunciar a chegada de quem traz a salvação
na tua fala começa a paz do amor cristão
ACALANTO PRA BERNARDO Ver letra Xico Bizerra e Carlos Villela Maciel Melo
um grão de vida num verso encantado
céu de luz, chão de paz
tecido no ventre de outra semente que brotou lá atrás

veio com a cor de um mundo sorridente
inventando cheiros para meu jardim nos braços de uma brisa leve

é o sol anunciando que chegou nova luz, um clarão
refletindo cantigas de amor, ternurando a canção
criança, então, sonhei meus sonhos de menino
plantei-me num inverno de alegria
pra florar risos no meu olhar de avô
ALÉM DA ESQUINA Ver letra Xico Bizerra e Leninho Nádia Maia - Leninho c Part Maciel Melo - Gláucio Costa - Leninho;
o meu amor se foi para além da esquina
aonde a ave de rapina se esconde
felicidade se perdeu pela estrada
não tenho nada se é que vou não sei pra onde

qualquer metade de você é muito em mim
o sorriso que não tenho é o teu sorrir
o meu abraço sente falta do teu braço
tô um bagaço já não consigo dormir

és o inverno que arrelampa minha vida
és a bebida que a minha sede implora
tu és a hora que completa o meu destino
sou teu menino te caçando na memória
és o riacho que atravessa minha roça
tu és a prosa que eu nunca soube ler
vem cá, amor, vem cá pra me fazer feliz
me di, me diz agora o que eu devo fazer
me diz, me diz o que é que eu vou fazer pra ser feliz
AMOR DE PASSARINHO Ver letra Xico Bizerra e Biguá Biguá
xô! amor de passarinho
bateu asas mundo afora
pra bem longe voou
pegou o meu amor e foi embora

sem rumo, sem destino, ave incerta
deixou vazia a vida e muda a canção
e eu que não fechei a porta da gaiola
tive que voltar de novo pra escola
pr’aprender a prender um coração
APRONTAMENTO Ver letra Xico e Adalberto Cavalcanti Geraldo Maia - Wilma Araujo
vesti meu paletó, linho alinhado
sorri o meu sorriso adomingado pra ela me olhar
nos pés brilhava um brilho que só vendo, quase espelho
vermelho era o cravo na lapela pra lhe dar

quando cheguei, nem sequer fui percebido
entristecido, por pouco não fiquei a chorar
bastou olhar pr’um cantinho do salão
tava lá um coração esperando o meu chegar

graças a deus, valeu meu aprontamento
nesse momento, do inferno fui no céu parar
ainda bem que a moça nem me notou
encontrei um novo amor
que um cravo vai ganhar

pensando nela vou tomar banho de cheiro
vou ser meeiro em seu canteiro para me encantar
e aquela moça que não quis saber de mim
vai ver como é ruim um grande amor desprezar
ARARIPE DE CHIQUINHA Ver letra Xico Bizerra Chiquinha Gonzaga c Part de Gennaro
ela saiu do araripe, seu moço
de onde saiu seu irmão
trouxe a saudade no peito
e a paz no coração
há mais de 50 anos, seu moço
que ela canta o baião

seu januário, seu pai, foi também seu professor
foi ele quem lhe ensinou os segredos da canção
e é por isso que ela puxa meu fole pelo ‘mei’ do mundo
e tem um respeito profundo pelas coisas do sertão
AVE MARIA DA NATUREZA Ver letra Xico Bizerra/Bebé Natércio Irah Caldeira - Maciel Melo - André Rio - Meire Lima
ave maria,
rogai pelas marés, pelas flores
pelas florestas, pelos amores
pelo fim dos arsenais

ave maria ,
rogai por todos nós pecadores
por nossos risos, por nossas dores
e por um mundo de paz

bicho dos ares, bicho dos mares,
bichos de pelos, escamas e penas
bichos dos matos, bicho dos rios
e outros bichos que somos nós
rogai por nós, rogai por nós,
rogai por nós, santa mãe de jesus

ave maria dos céus
venho aos teus pés pedir
por nossas vidas, nosso ir e vir
por homens racionais

ave maria dos céus
rogo teu doce olhar
por nossos sonhos, luas no mar
por todos os animais

bichos que voam, correm e nadam
bichos que brigam, bichos que matam
bichos urbanos, bichos de ruas
por esse bichos que somos nós
rogai por nós, rogai por nós,
rogai por nós, santa mãe de jesus
BAIÃO DE UM,DE DOIS,DE TRÊS Ver letra Xico Bizerra e Roberto Lins Roberto Lins
faz tempo que eu não danço um baião com você
ai que saudade me dá, meu amor, bem-querer
de uma sanfona tocando
e a gente se abraçando até o amanhecer

se eu fosse você voltava correndo pra cá
pra ver o fole gemendo e a poeira voar
inda te dava meu cheiro
e os meus ‘pezim’ ligeiro pra gente baiãozar

volta ligeiro, querida, que a vida jamais esperou por ninguém
cavalo passa selado, se a gente chega atrasado nunca mais ele vem

tô esperando você, vê se vem, não demora
que a saudade já mora em meu peito de vez
vem dançar um baião, acabar minha aflição
quem sabe no outro são João ai ter um baião de três
BALAIO DE CHEIRO Ver letra Xico Bizerra e Maria Dapaz Ivan Ferraz c Part de Maria Dapaz
ai que saudade eu tenho
do beijo que eu ainda vou te dar
do afago, do carinho, do arrocho
um amor roxo que não quer me abandonar

você desarrumou o meu juízo
e fez meu coração se apaixonar
revirou a minha vida pelo avesso
tocou fogo, fez aceso o pavio do verbo amar

e o calor incendiou a minha alma
levou prá longe a calma, endoidou o meu viver
e agora, o que fazer do meu abraço?
não sei desatar o laço, foi nó cego pra valer

vem–se embora, tô aqui te esperando
não importa até quando
vem ligeiro, vem-se embora
que eu tô que não agüento
vem trocar meu sofrimento
por um balaio cheio de cheiro
BEIJO, DENGO E CAFUNÉ Ver letra Xico Bizerra e Accioly Neto Del Feliz c Part Santanna - Sanfonéia - Território Nordestino - Qui nem Jiló c Part Nádia Maia
‘tô só de novo, nem sempre a gente tem o que se quer
papai dizia que coração de mulher
é terra que ninguém pisou
de repente você cai em si e volta
batendo na porta
chamando meu nome, com fome de amor

você se foi, e carregou a minha estrela guia
foi tão ruim e disso eu já sabia
meu coração, casa da dor
mas quem sabe, qualquer dia voce volta
batendo na porta
chamando meu nome com fome de amor

vai ser tanto beijo, dengo e cafuné
chuva de desejo, volta da maré
BICHO VERDE-AMARELO Ver letra Xico Bizerra e Marcelo Melo Marcelo Melo (Quinteto Violado)
sou tocador de viola
meu tocar já fez escola
já cantei muita canção
o meu nome é marcelo
sou bicho verde-amarelo
no meio desse sertão
BOA NOVA Ver letra Xico Bizerra e Ozi dos Palmares Vanutti Macedo
será karina ou juliana?
cecília ou naiana?
quem sabe vai ser lucas, ou então joão?
será só dulce baião?

será bernardo ou joel?
quem sabe iuri ou rafael?
vai ser nenzinha, talvez gó
ou será só xico forró?

com o nome que tiver
será bem-vinda essa pessoa
nova boa
tenha o nome que tiver
tenha o nome que tiver
será bem-vinda essa pessoa
nova boa
com o nome que tiver
BOLE-BOLE Ver letra Xico Bizerra e Diego Reis Lampiões e Maria Bonita - Trio Nordestino c Part Adelmário Coelho
quando ela passa, todo mundo bole
todo mundo bole, todo mundo bole
quando ela passa, todo mundo bole
todo mundo bole com seu bole-bole

essa menina que passa bolindo
bolinando, distraindo todo sonho meu
me desconserta com seu bole-bole
me deixando mole, judiando d’eu
menina linda, vem bolir comigo
que eu te dou abrigo, casa e ‘di cumê’
venha depresa que eu ‘tô te esperando
se puder, venha voando quero bolir com você
BRINCANDO DE BRINCAR Ver letra Xico Bizerra e Carlos Villela Vanutti Macedo
não sei se vou brincar de bola ou de boneca
só sei que vou brincar e vai ser bom
fazer graça, ser palhaço,
cambalhotas e abraços
só sei que vou brincar e vai ser bom

não sei se vou brincar de casinha ou de pião
só sei que vou brincar e vai ser bom
fazer mil piruetas,
palhaçadas e caretas
só sei que vou brincar e vai ser bom

barriga de amor luzente guarda o fruto do amanhã
guardiã de uma semente, de uma gente que já vem
tem algo dentro dela e é vida, maravida
é vou brincar de querer bem

vou brincar com areia contar estrelas lá no céu
só sei que vou brincar e vai ser bom
andar de pés descalços,
desenhar todos os traços
só sei que vou brincar e vai ser bom
BUCHA DE CANHÃO Ver letra Xico Bizerra e Beto Horts Roberto Lins
você quase acabou com a minha vida
pôs uma bomba dentro do meu coração
vou lhe dar uma passagem só de ida
seu carnaval vai ser longe do meu salão

quero você distante da minha vista
desapareça, não encha meu saco, não
você vai ficar muito bem de turista
fantasiada como bucha de canhão

nesse carnaval só lhe dou o meu perdão
com você lá no iraque ou no afeganistão
nesse carnaval não quero lhe encontar
você lá no iraque e eu pra lá de bagdá
BUGINGANGAS Ver letra Xico/Leninho/Ze Maria Leninho - Nádia Maia
assim que você vier perguntar
o motivo por que cansei de esperar
um dia, uma luz, uma estrela, outro dia
mil sonhos de amor, ilusão fantasia

nada falarei o silêncio será arma soberana
como a madrugada que recebe o orvalho frio e não reclama
e o que restará de nós será somente bugigangas

não posso esquecer o que devo levar
o que faça doer eu prefiro deixar
levo o meu coração e o vazio da casa
a nossa velha chama, aquela flor amassada

um verso deixarei só para você bem na nossa cama
que te fale de amor, de paixão, de prazer e de uma dor tão tirana
e o que restará de nós será somente bugigangas

se um dia alguém precisar saber
as razões desse fim que não foi meu querer
pergunta às estrelas que brilham lá em cima
da tristeza que é quando tudo termina

só saudades terei de um tempo tão bom que a alma reclama
e por falta de amor levarei o meu peito que se esmolamba
e o que restará de nós será somente bugigangas
CAMPINA DOS TROPEIROS E DOS AMORES Ver letra ADAIL MENA, DEL FELIZ E XICO BIZERRA DEL FELIZ E ELBA RAMALHO
campina dos tropeiros e dos amores
del feliz, adail mena e xico bizerra

ENFEITAM-SE DE VERDE TUAS SERRAS
BANHADAS COM CARINHO PELO SOL
NA NOITE UM OCEANO DE ESTRELAS
TRANSFORMA TUA LUA NUM FAROL
AS TRILHAS TEM A MARCA DOS TROPEIROS
CLÃ BOIADEIRO QUE FUNDOU ESTE LUGAR
SAGA DE GENTE AGUERRIDA
HERÓIS QUE MARCARAM A VIDA
TERRA TÃO BONITA ASSIM NÃO VAI SE ENCONTRAR

PÁTRIA DOS ARIÚS
RAÇA DE VALOR
PARQUE DO POVO ACOLHEDOR
O MELHOR SÃO JOÃO
XOTE, MARCHINHA E BAIÃO, CAMPINA FLOR

O CORAÇÃO DA PARAÍBA
TEM ALMA FEMININA
É FLOR MENINA CANÇÃO E POEMA
BORBOREMA, GRANDE CAMPINA

CAMPINA CORAÇÃO PARAIBANO
PORTEIRA QUE SE ABRE PRO SERTÃO
ANTIGA VILA NOVA DA RAINHA
ALDEIA NO PLATÔ DO CHAPADÃO
FUNDADA FOI POR TEODÓSIO LEDO
HOMEM SEM MEDO SEU CAPITÃO-MOR
UM EXEMPLO DE VARÃO
E O OURO BRANCO, O ALGODÃO
FEZ ESSA CIDADE BOA SE TORNAR MELHOR

PARTE O TREM DO FORRÓ
SOB UM CÉU AZUL ANIL
SILIBRINA DE BRÁULIO E BILIU
UMBIGADAS DO GENIVAL
ELBA RAMALHO A FLOR DO TEU AMOR

O CORAÇÃO DA PARAÍBA
TEM ALMA FEMININA
É FLOR MENINA CANÇÃO E POEMA
BORBOREMA, GRANDE CAMPINA

PRA SÃO JOSÉ DA MATA E GALANTE
GENTE ELEGANTE VAI DANÇANDO O MEU FORRÓ
ATÉ QUE A LUZ DO SOL VÁ SE ESCONDENDO
ATRÁS DAS ÁGUAS DO BODOCONGÓ
NO LENTO “TROPEIRAR” DE UMA SAUDADE
CANTO À CIDADE QUE ME FEZ O QUE EU SOU
AÇUDE VELHO E NOVO
RELÍQUIAS DO MEU POVO
MUITO ALÉM DO SONHO QUE BREDERODES SONHOU

O CORAÇÃO DA PARAÍBA
TEM ALMA FEMININA
É FLOR MENINA CANÇÃO E POEMA
BORBOREMA, GRANDE CAMPINA
CANÇÃO DA PAZ POSSIVEL Ver letra Xico Bizerra e Paulinho Leite Paulinho Leite
quanto tempo ainda resta para que os homens usem inteligência
troquem as armas por uma flor
e saiam aguando os canteiros da vida regando ternuras
penso em crianças futuras que não merecem os punhais dessa dor

quando se planta o sêmen da fé
toda esperança floresce
e doces frutos de nobre sabor
a mãe natura oferece
na mesa dos homens de bem
alimentos que têm o tempero do amor

quem faz nascer o sol pela luz do dia? nossa mãe natureza
quem faz a chuva-rainha de nossa invernia? nossa mãe natureza
quem é que faz nascer uma planta no chão? nossa mãe natureza
quem transforma a semente em pedaços de pão? nossa mãe natureza
quem é que faz correr as águas do rio? nossa mãe natureza
quem faz o vento soprar seu eterno assovio? nossa mãe natureza
quem é que faz as florestas e os animais? nossa mãe natureza
e quem nos faz crer ainda num mundo de paz? nossa mãe natureza
CANTIGA DE DUDU Ver letra Xico Bizerra e Dudu Alves Dudu Alvs (Quinteto Violado)
sou dudu, o do teclado
toco em pé, toco sentado
tenho dedos bailarinos
toco xote e baião
no escuro ou no clarão
toco os toques nordestinos
CHÃO DE INVERNIA Ver letra Xico Bizerra e Carlos Vilella Galvão Filho
me faça de semente num chão de invernia
faça da noite dia clareando o meu ser
me guarde nesse rio de águas de alegria
deixa eu ser poesia alegrando você

deixa eu ser o baião, amor, com zabumba e sanfona
venha ser minha dona, minha razão de ser
deixa eu ser o sertão, amor, com esse céu tão bonito
vem calar o meu grito, vem ser o meu bem-querer

vem ser, vem ver, vem ter amor
Vem saber como é bom que eu seja você
CHAMEGAÇÃO Ver letra Xico Bizerra e Selma Santos Joana Angélica
não vou sair de casa
‘tô que é uma brasa pra receber
a quem eu amo tanto, meu doce encanto, meu bem querer
hoje tem brincadeira, tem safadeza, chamegação
o que eu quero agora é botar em dia minha emoção

‘ta chegando a hora da alegria no coração
vem, vem, vem que eu ‘tô te esperando
vem, vem sorrindo e cantando
a surpresa é boa, não fico à toa e beijo você
hoje eu quero mesmo é chamegação pra não ter perder
CHICO DAS ÁGUAS Ver letra Xico Bizerra e Toinho Alves Quinteto Violado - Cristina Amaral - Som da Terra
velho chico, no fuxico de tuas águas
as minhas mágoas se afogaram em teu correr
na canoa em que eu faço a viagem
no silencio da paisagem vejo tudo florescer

eu te pergunto:
quantas lágrimas matutas se verteram pra que fosses lindo assim?
desde a canastra até a última morada
em que te entregas ao mar num amor sem fim

junto ao teu leito, ora largo, ora estreito
as tuas águas pintam de verde o sertão
dando festa na vida do sertanejo
olho para ti e vejo: tens alma e coração

ó velho chico, quantas sedes saciadas
por tantas bocas que viveram a te beber
chico das águas, chico amigo, são francisco
vem de alegria minha vida abastecer
vem dar água de beber, matar a sede da gente
vem transformar a semente
em fruto bom de se comer
CIANO, O QUE FLAUTEIA Ver letra Xico Bizerra e Ciano Alves Ciano Alves (Quinteto Violado)
sou ciano, o que flauteia
foi não foi, volta e meia
eu me pego a flautear
soprando esse instrumento
só com a força do meu vento
pras cantigas enfeitar
CINCO PEBAS NA PIMENTA Ver letra Xico Bizerra e Toinho Alves Quinteto Violado
cinco peba na pimenta
caldeirão nordestinês
pelos sertões, muçambês
verdade tão suculenta
a canção é a ferramenta
pra violar os luares
e por todos os lugares
enluaramos violas
e nas nossas caçarolas
cantigas bem populares
COLHEITAS Ver letra Xico/Anchieta Dali/Jr Sousa Anchieta Dali
quem dera nas areias da saudade te encontrar
e em cada grão perdido tua face debulhar
me leva, mil léguas, prá estrada desse caminhar

quem dera eu me deserte dessa solidão
desprenda as amarras do meu coração
me leva, mil léguas, prá estrada desse caminhar

mas se o mar virar sertão
e o sertão acordar
será tempo de invernia, de alegria
será tempo de amar
vai ser tempo de fartura
colheitas de acarinhar
COM ESSE TALO NÃO ENTALO Ver letra Xico Bizerra Mazinho de Arcoverde
eu canto, brinco, frevo e tudo falo
eu não me calo
nossa turma vai sair eu como a sua jaca
e não me entalo

segura o talo nossa troça
ta aí em casa forte, apipucos,
essa jaqueira vai dar jaca a festa inteira
que é prá gente se alegrar
jaca de dia, de noite a toda hora
e a turma só vai-se embora quando a jaca se acabar
CORAÇÕES FERIDOS Ver letra Xico Bizerra Joana Angelica - Karolinas com K - Joquinha Gonzaga
quando se fere um coração, por amor
o peito ‘vei’ se despedaça em mil
não se sabe a maior dor
se o coração ferido ou o de quem feriu
aí bate uma tristeza, um desassossego
um banzo danado
e o cabra fica agoniado
injuriado toda vez que lembra do que fez

e haja chororó
e haja aquela vontade de voltar atrás
pedir perdão e prometer que nunca mais
carinhos e afetos ficarão contidos
é tão ruim melhor seria conversar, trocar um abraço
apertar o nó do amor, arrochar o laço
do que fazer, como se fez, dois corações feridos
DAS OROPA PRO EXU Ver letra Xico Bizerra e Junior Vieira Ribeiro Filho
a noruega ‘tá aqui junto de mim
fica bem pertim do juazeiro e do icó
bodocongó é vizinho do japão
basta que eu mexa a mão e já avisto o moxotó
bulo com um dedo e viajo pra pequim
quixeramobim parede-e-meia com seul
do pajeú eu descortino o oriente
navegando vou contente das oropa pro exu

esse mundão virou uma bola de gude
num carece que se estude pra se viajar
é só triscar o dedo no pitoco certo
seja longe ou seja perto num tem jeito de errar
o mundo todo é vizinho do sertão
o afeganistão é coladim no ceará
campina grande fica ali bem na esquina
e a conchichina é no quintal de quipapá

com tanto ponto, tanto com, tanto br
mermo que o sujeito erre termina chegando lá
com a bexiga dessa tal de internet
não tem cabra que se aquete
todo mundo a navegar

mas só no meu sertão tem essa lua bonita,
essa terra bendita e um povo tão bom
mas só no meu sertão tem
passarim, juazeiro, sanfona no terreiro e o teu batom
DE QUE ADIANTA? Ver letra Xico Bizerra/Bráulio Medeiros Kelly Rosa
nem tudo que se quer a gente tem
um carinho, um amor, um querer-bem
a vida nem sempre dá
aquilo que a gente espera
quem dera a felicidade morasse aqui

nem tudo que se tem a gente quer
tristeza, saudade de amor, dum cafuné
a vida às vezes nos dá
aquilo que não se espera
quem dera essa dor morasse longe daqui

de que adianta
repente sem ligeireza
riacho sem correnteza
ter fome e não ter comer?
de que adianta
ter o mundo em minha mão
ter no peito um coração
batendo sem ter você?
DE REIS MAGROS E VAQUEIROS Ver letra Xico Bizerra/Bebé Natércio Terezinha Acordeon - Bira Delgado - Forró Caçuá
o mundo feliz recebe o menino redentor
o porta-voz da justeza safra repleta de amor
salve o nosso deus menino viva o nosso salvador

viemos ao teu encontro seguindo a estrela guia
trouxemos mimos de paz muita fé, muita alegria
salve o fruto mais bendito viva o filho de maria

ao mundo foi prometido
que esse tempo ia chegar
o povo com esperança
vai aprender a amar
e na promessa do pai
vem o filho nos salvar
DE TANTO GOSTAR Ver letra Xico Bizerra e Del Feliz Del Feliz
eu vou entrar de cara nessa brincadeira
e se cair levanto, sacudo a poeira
deixar você pra lá vai ser uma besteira
eu gosto de você, meu bem
eu gosto de você, meu bem
não gosto de mais ninguém

pra te encontrar eu subo e desço ladeira
e feito bobo eu fico conversando asneira
dou cangapé e até planto bananeira
eu gosto de você, meu bem
eu gosto de você, meu bem
não gosto de mais ninguém

de tanto gostar perco até a hora
quero ficar eu não vou embora
se por acaso eu ganhar o teu amor
vou sorrir, vou viver
nosso caminho só vai ter cherança e flor
de tanto gostar
meu sorriso diz
que é você quem me faz feliz
DE VERA Ver letra Xico Bizerra e Roberto Lins Roberto Lins
eu ‘tô te amando e é de vera
quisera tu soubesse desse meu amor
eu ‘tô te amando e não é pouco, não
meu coração ‘tá precisado
‘tá querendo teu calor

eu vou aonde for preciso
eu vou aonde tu disser que eu vá eu
vou buscar o doce paraíso
que fica embaixo desse teu olhar
eu vou aonde o sol se esconde
eu vou aonde o céu abraça o mar
eu vou não importa quando e onde
o que eu quero é um dia te encontrar
DECÁ Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho
decá um cheiro nessa tua flor sertão
decá um bocadinho desse teu amor pagão
eu tô querendo o endereço da cidade
a casa da felicidade, pra deixar meu coração.

decá um taco do teu alegrar
que eu trago as estrelas para alumiar
as curvas da estrada do nosso caminho
me dá o teu carinho, que te dou meu abraçar

com um tiquinho, um taquinho de você
eu faço o nada transformar-se em poesia
e um bocadinho a mais do teu querer
faço chover nesse meu chão de sertania

e se um dia alguém vier falar
que o amor não tem valor, é ilusão
decá a chance d’eu poder mostrar
o nosso amor, a nossa história em canção
DESFAZENDO A MALA Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho - Nádia Maia - Waldonnys - Kelvin do Acordeon
eu ‘tô chegando vim ligeiro que nem bala
já ‘tô desfazendo a mala pra ficar contigo
trouxe um abraço, um afago e um carinho
‘tô voltando pro meu ninho
aqui é o meu abrigo

lá onde andei eu só achei o que não procurava
nunca pensei que a saudade era ruim e tanto maltratava

voltei e tô com fome de amor
juro, nunca mais vou, eu voltei, tô aqui
eu quero é sentir teu calor
quero esquecer a dor, quero de novo sorrir

a rua ‘ta deserta, o coração a latejar
vim ligeiro que nem bala no faro do teu desejo
a porta ‘ta aberta, faça o favor de entrar
já ‘tô desfazendo a mala esperando um beijo
DO EXU A LIVERPOOL Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho c part de Waldonys
quando o som de uma estrela acender a canção
vou ver em cada mão dos meninos de Liverpool
uma flor mandacaru colhida no mato
ou num jardim de asfalto cá pras bandas do exu
quando um raio de lua prosear com meu verso
todo o meu universo será berço de rimas
serão obras-primas com cheiro de mar
que o vento trás todo dia pro sertão decantar

e essa brisa leve haverá de entoar acordes de amor em todo lugar
exu, Liverpool, vilarejos e zonas
guitarras, sanfonas em cantigas de paz
DUZENTOS BEIJOS Ver letra Xico Bizerra Karolinas Com K - Joana Angélica
venha embonitar o meu viver
venha fazer festa no meu coração
eu ‘tô esperando por você
venha avexada, não demore, não

eu já armei uma barraca no meu peito
tem bom-bom, vai ter confeito
prá adoçar nosso beijar
e te garanto que é grande o sortimento
de amor, de sentimento de carinho pra te dar

tem prateleiras que ‘tão cheias de afeto
já tem mil cheiros, por certo esperando o teu chegar
venha amuntada no desejo
já embrulhei duzentos beijos pra hora de te encontrar
ENLUARADO Ver letra Xico Bizerra e Luciano Nunes Rosaura Muniz
quem é esse doido que vive o sonhar?
nas ruas da vida, lida de cantar
esquinas do tempo, veredas da terra
canta o pé-de-serra, luar e sertão

quem é esse sábio que canta o amor?
estradas, estrelas, vê-las, seu labor
espaços do vento, compassos da dança
rima que se lança rumo ao coração

é um poeta, enluarado, cantador
violeiro da saudade
canta lembrando do seu amor
ESTAMPAS Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho (Versão Xaxado) - Leninho (Versão Canção)
vem ser linha
costurar o meu desejo
carretear o meu beijo
no meu linho se enrolar

vem ser minha
com teu sorriso rendado
me ensina o teu bordado
que eu te ensino a namorar

vem misturar
a tua chita, com meu algodão
tua mão na minha mão
duas almas numa só

pano e tecido
estampas do nosso amor
retalhos de toda cor
alinhavando um xodó

deixa a saudade
pendurada nos varais
alivia os meus ais
vem cessar minha agonia
e a cada dia
cada noite ou manhã
serás minha tecelã
tecendo minha alegria

deixa a saudade
pendurada nos varais
alivia os meus ais
acaba com o meu sofrer
e vem me ver
toda noite ou manhã
vem ser minha tecelã
tecendo meu bem-querer
ESTRELA E LUA Ver letra Xico Bizerra/Bráulio Medeiros Irah Caldeira
quem parte dessa terra e anda o chão do seu lugar
quem faz o que o coração manda um dia chega lá
pra se encharcar de vida e ser raiz
cheiro araripe, luz de garanhuns, sonhos de luiz
tem que ser exu, tem que ser agreste, tem que ser luiz

quem teve o colo de santana, o colo de lindu
quem viu de perto a asa branca e o mandacaru
carrega a simplicidade de um aprendiz
do homem que canta, do homem que planta, do homem luiz
vento retirante, chuva que anuncia os sonhos de um país

cantos do exu, sorriso agreste,
estrela que brilha, lua que alumia
o céu do meu nordeste

quem tem na alma o sentimento do seu povo bom
quem tem a força da palavra e a usa como dom
faz o estradar da gente tão feliz
berço caiçara, rede caetés, sonhos de luiz
sorriso na alma, palavra que acalma, bem que sempre quis

lua sertão, estrela agreste
canto que brilha, luz que alumia
o chão do meu nordeste
EU VI, VOU VER Ver letra Xico Bizerra/Jr de Sousa Ébano Nunes - Rosaura Muniz - Perkata de Couro c Part Ilana Ventura
eu vi u’a mulher com a saudade na cabeça
eu vi u’a mesa vazia sem o pão
eu vi o sertão conversando com a incerteza
eu vi ribançã avoando em procissão

eu vi um xêxo de pedra onde foi rio
eu vi o cio da terra se acabar
eu vi o zunir de um açude vazio
eu vi o choro intrigado com o alegrar

mas sei que tudo isso é coisa passageira
a eira e a beira do amor é aqui
eu sou cria dessa nação nordestineira
em minhas veias só corre o sangue cariri

tomara que um dia deus lembre da gente
desinvente o sol quente dos nossos sertões
e faça a chuva vir molhar nosso terreiro
aguaçeiro que inunde de amor os corações

vou ver outra vez o milho penduando
penteando as tranças de um bem-querer
vou ver a água correndo, deslizando
transformando a semente num grão bom de comer

vou ver de novo um toque de sanfona
a dona d’eu me fazendo um cafuné
vou ver a felicidade vir à tona
e a alegria no peito pro que der e vier
FEITO UM BESTA Ver letra Xico Bizerra e Leninho Nerilson Buscapé - Leninho c Part Maciel Melo
ela passou por mim e nem me viu
e eu fiquei feito um besta
eu perdi totalmente a noção
se era quinta ou sexta

eu só sei que ela passou por mim
muito satisfeita
foi aí que me vi nesse baião
e percebi que era sexta

não me importa o dia da semana
nem a hora que ela passou por mim
interessa é que ela passou
derramando seu cheiro de jasmim
deixa pra lá se ela não olhou
eu só sei que foi bom ela passar
eu jamais vou saber quem era ela
eu só sei que foi bom demais olhar
FERRO E FLOR Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho - Joquinha Gonzaga c Part Santanna
a gente sabe porque é de lá
daquelas bandas lá do bodocó
que esse cheiro de forrobodó
perfuma o ano inteiro

pra ser de lá tem que gostar de luiz
antes de tudo tem que ser feliz
plantar semente e buscar a raiz
desse chão brasileiro

tem que ter um braço forte
mas dentro do peito um coração sereno
não ser tão grande nem ser tão pequeno
ser do tamanho desse meu sertão

ser ferro e flor pra agüentar a dureza da lida de lá
ser cantador das coisas do lugar
sorrir ou chorar se preciso for

eu vou voltar
seu moço, eu vou voltar lá pro meu bodocó
pois a saudade é grande que dá dó
eu que só vim com a coragem e a cara
eu vou voltar
pois pensei que aqui eu ia ser feliz
mas isso é o que todo mundo diz
quando sai atrepado num pau de arara
FESTA DE TRÊS Ver letra Xico Bizerra e Bruno César Tio Bruninho
tum, tum, tum, bate o tambor
tam, tam, tam, acho que vou dançar
tim, tim, tim, vem triangando
pra festa começar

são três os instrumentos
que fazem meu forró
ouça o som da sanfoninha
que agora toca só
(ouça o som da zabumbinha
que agora bate só)
(ouça o som do trianguinho
que tilinta só)
FESTA DOS MEUS ZÓI Ver letra Xico Bizerra e Roberto Cruz Banda Segnus - Dudu do Acordeon c Part Santanna
decá um cheiro e vem dançar comigo
o teu abrigo é aqui juntinho d’eu
vem alegrar a festa dos meus ‘zói’
curar meu dodói, cuidar do que é teu

alumiar a minha noite escura
botar docura nesse meu viver
dançando um xote bem agarradinho
me abraçando com carinho até o amanhecer

morena bela, doce aquarela linda e colorida
bela morena, açucena cheirosa de minha vida
FINO CORTEJO Ver letra Xico e Adalberto Cavalcanti Geraldo Maia
os astros e a lua em fino cortejo
louvam o beijo que hei de te dar
a noite que se achega me deixa feliz
um corpo que se ameiga
e tua boca doce que sorri e diz: meu amor

a flutuar no céu brilhos de emoção
meu coração igual ao teu, sorrindo ao bater
no espaço-esplendor, desabrochar de flor
e eu a confessar ao mundo o meu amor

tu és, raio de luz numa noite escura
tu és, porção-milagre, bálsamo que cura
estrela mais que fulgente num céu carregado
és meu pedaço de paz sonhado
és tu, que quando perto, beleza ‘in natura’
és tu, que mesmo longe, anjo de candura
hei de ter-te sempre aqui, meu amor,
bem juntinho a mim pois és o meu eterno sim
GATO E SAPATO Ver letra Xico Bizerra e Leninho Tacyo Carvalho - Leninho c Part Geraldinho Lins
você fez o que bem quis comigo
gato e sapateou dentro da minha vida
agora toda arrependida pede perdão e diz que precisa voltar
a esperança não esta perdida
mas essa ferida ainda esta a sangrar

eu não sei não
já tava até acostumado com você distante daqui
eu e a solidão
bem nos suportamos mas não é bom viver assim
não imaginaria que a nossa alegria pudesse acabar
te juro eu não queria mas tudo que começa tem que terminar

quem sabe a vida nos dá outra chance
quem sabe um dia a paz a gente alcance
eu só queria te pedir mais uma coisa
antes que acabe essa nossa canção
é que de agora em diante
você não faça mais gato e sapato do meu coração
GENESES Ver letra Xico Bizerra/Bebé Natércio Irah Caldeira; Laerson Alves
trevas sobre a face do abismo
e o espírito de deus sobre a face das águas
e haja luz, houve luz, boa luz e deus a chamou de dia
as trevas deus chamou de noite
e houve o primeiro dia o céu expandiu
no segundo dia o fruto, a árvore, a terra
a semente deus viu que era bom,
é terceiro dia e no quarto dia de sua criação
fez separar o escurão do clarão
estrelas vieram pra a alumiar o chão
abundantemente seres de almas viventes
de tudo que existe deus fez a semente
e os abençoou pra frutificar
multiplicar e encher as águas dos mares de peixes,
de vida e de aves os ares
e o quinto dia acabou de acabar
e deus criou cada um para sua missão
os bichos, os répteis, toda criação
e os abençoou pra frutificar
deus também criou o homem a sua imagem
para ser bondoso, para ter coragem
era o sexto dia a se coroar
e assim os céus e a terra
todo seu exército foram acabados
depois de deus tudo criado
o sétimo dia foi pra descansar
GILBERTIANA Ver letra Xico Bizerra Kleber Araujo - Irah Caldeira
no carnaval apipucos se embandeira
e a turma da jaqueira faz valer seu ideal
não importa se chuva ou sol a pino
homem, mulher, menino além do bem e do mal

a alegria se derrama em casa forte
dando suporte à nossa troça que já vai passar
e nesse passo frevado, cadenciado
o povo do nosso lado sorrindo a desfilar

joguei minha tristeza na senzala
e a minha fala só falava coisa à toa
sobrados e mocambos de alegria
eu não sabia que a vida era tão boa
ainda me lembro da alegria de gilberto
sorriso aberto vendo a nossa troça passar
são casas-grandes de tanta felicidade
se espalhando na cidade
enfeitando o meu lugar
GINGA BRASIL Ver letra Xico Bizerra e Israel Filho Israel Filho
‘vixe’, que alegria tamanha
show de bola na alemanha com a nossa seleção
eu tô que só vejo a canarinha
de camisa amarelinha bem junto do coração

já tô sentindo o gosto dessa taça
alegria na praça a cada gol que a gente faz
levanta essa taça,
brasil país do futebol, eu quero é mais mais uma estrela,

vamos lá que a gente ganha
show de bola na alemanha
muito chope vou beber
comemorando mais esse campeonato
já sou campeão de fato quero ver acontecer
e na torcida um grito de explosão
quando a nossa seleção canarinho vencer
a cada gol pura emoção, agüenta coração
que não pára de torcer

ginga brasil, ginga brasil, ginga brasil
bola pra cá, bola pra lá, pura emoção
no futebol eu sou penta campeão
põe mais uma estrela e arrebenta o coração

ginga brasil, ginga brasil, ginga brasil
faz esse povo de alegria delirar
traz essa taça de novo
pro nosso povo bebemorar
GONZAGA É CEM Ver letra Xico Bizerra e André Rio André Rio
num pé de serra lá pras bandas do exu
se fez a luz anunciando um novo som
nascia u’a flor em meio ao mandacaru
luiz gonzaga com o seu acordeon
a asa branca, a acauã e a sabiá
se deram as asas na copa do juazeiro
num dezembro, 13, pra comemorar
o centenário desse luiz brasileiro

raio de luz
verso, emoção
rei do sertão
lua que afaga
sol que reluz
canção que aflora
brasil afora
baião Gonzaga

luiz Gonzaga, rei do baião
te rendo graças com essa canção
GUARDIÃ Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho c Part Santanna, Bruno Flor de Lotus
morena faceira e bela
sai desse janela que já é primavera e eu quero te ver
bote um vestidim de xita
feito uma aquarela, sai dessa janela,
minha flor de muçambê

o enfeite do cabelo uma fita amarela
pés descalços ou de chinela eu num reparo não
traga logo o seu sorriso, tô a tua espera
vem depressa fazer festa no meu coração

mil versos, poemas, canções ao luar
nada se compara ao meu bem querer
és bela, faceira, fulô serena
guardiã do meu coração, do meu ar
a razão maior desse canto é você
JARDIM DO AMANHÃ Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho - Ilana Ventura - Roxinó do Nordeste
ei, você, saiba que o nosso amor é para a vida inteira
ei, você, já faz tempo que nasceu o sol do meu bem querer
ei, você, plante cultive preserve a semente verdadeira
ei, você, pra no jardim do amanhã o amor se possa colher

quanta vida esperei a hora dessa colheita
a fruta, a planta, a raiz é da semente que sai
não se briga com o tempo e nem se faz a desfeita
o tempo é o senhor, mas nosso amor é capaz
de florescer, de crescer, frutificar e até mais

ei, você, o nosso amor é agora o nosso tempo é de paz
ei, você, nosso amanhã é agora o hoje nunca vem mais
ei, você, o nosso amor é agora nosso tempo é fugaz
ei, você, nosso amanhã é agora o hoje nunca vem mais
JOGO DO BEM QUERER Ver letra Xico Bizerra/Bráulio Medeiros Neto Andrade
eu chegando na estação
você no trem de partida
eu querendo a tua mão
no teu olhar, despedida
eu doido pra conversar
você de boca fechada
perdi tudo, ganhei nada
no jogo do bem-querer

faç’isso não
volte pra mim
faç’eu sonhar sem precisar dormir
fac’isso não
tem pena d’eu
vem ser inverno no meu chão que é só teu


eu indo ao seu encontro
você mudando a calçada
você querendo dormir
eu lhe querendo acordada
eu respirando o sim
você transpirando o não
você não tem um pingo de pena
do meu coração
JOSÉ E MARIA Ver letra Xico Bizerra/Bebé Natércio Irah Caldeira; Honorato
o casal sagrado segue seu caminho
tão duro e agreste de pedra e espinho
pequena belém terra de judá
numa manjedora um rei nascerá

para que se cumpra toda profecia
vão para belém josé e maria
belém de david do povo fiel
sairá de ti o rei de israel

em toda belém lugar não havia
onde se esconderem jesus e maria
LÁ VEM O BLOCO Ver letra Xico Bizerra e Jose Arimateia Sevi Nascimento
abra o teu sorriso que o bloco vai passar
abra o coração pra receber
todo esse amor que eu guardei para te dar
com as cores da alegria e bem querer

feche a porta para a tristeza e a solidão
deixe escancarado o teu sorrir
venha, eu sou teu guia
teu norte é minha mão

eu sei que a festa é aqui
venha, que eu te espero
não demore não
a minha vida eu quero colorir
já ‘adominguei’ o meu abraço
e o meu passo ‘ta no compasso do amor

eu vou dançar, tu és meu par
aonde fores, basta me chamar
que eu vou, mas só te peço
nesse dia a fantasia que me faz cantar
basta um sorriso,
e o paraíso do céu pra terra há de se mudar
MÃO DE AVÔ Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho com Marcelo Melo (QViolado)
chegou abraçando às seis horas
aquele a quem vou segurar pela mão
será ele meu irmão mais novo
e eu serei seu mais velho irmão

qualquer muito à frente dele é nada
todo nada nele vai ser tudo
minha palavra restará calada
mas meu coração nunca estará mudo

meu poetinha, rima verdadeira
um belo soneto que canta o amor
que sejas terno pela vida inteira
serás valente, se preciso for

e alegrarás a minha cantiga
irás com ela aonde ela for
terás carinho dessa alma antiga
e a mão amiga desse teu avô
MANHÃ DE INVERNO Ver letra Xico Bizerra/André Rio André Rio
manhã de inverno
face oculta de um sol clandestino
feiticeira a pintar meu destino
de mãos dadas com a loucura sã
que é tão sã

manhã de inverno
tua miragem em cada esquina
cavalgando sob a chuva fina
nesse hoje sem ter amanhã
amanhã

se a saudade de um instante desanoitecer
se essa metade tão distante pedir pra me ver
serpente
vou ser maçã
se o frio se cansar de ser tão frio e se for
se u’a estrela viajar pra te dizer do meu amor
te espero
nessa manhã
MEU PADIM CIÇO ROMÃO Ver letra Xico Bizerra Maria Lafaete c Part João Cláudio
meu padim ciço romão
tô aqui no seu terreiro
eu sou mais um romeiro
vim pedir tua benção

meu padim ciço romão
andei pelo mundo inteiro
mas voltei pro juazeiro
pra fazer essa oração

e agradecer pela vida pelo pão
pelo luar do sertão
por esse povo tão bom
eu tô aqui
vim correndo vim ligeiro
meu padim meu padroeiro
meu santo ciço romão
MEU RELICÁRIO Ver letra Xico/Petrucio/Oseas Lopes Carlos André
sou de um sertão, poeira, sol, lugar distante
me tornei bicho cantante, passarinho, sabiá
a terra quente um dia me mandou embora
mas guardei minha história que hoje volto pra contar

falar de um tempo que a saudade me trouxe
menino, piaba doce, rio, moleque a nadar
brilho de estrelas, clareando o terreiro
ver cocota seresteiro numa noite de luar

ai, como eu andei tão só
por este mundo longe do meu mossoró
ai, como eu andei tão só
quanta saudade do meu velho mossoró

meu caderno, livro de caligrafia diocesano, santa luzia,
é difícil esquecer o pavilhão e o parque da vitória
quanta falta eu sinto agora
porque é que eu fui crescer?

Minha igrejinha quanta alegria me destes
1904 a construção se iniciou
10 de outubro de 1907
um grande homem começou e jesus cristo abençoou

hoje eu retorno pra você, meu relicário
festejar teu centenário, meu coração de jesus
minha igrejinha, miguel faustino do monte
deu a ti novo horizonte aos pés da santa cruz
MINHA ALEGRIA Ver letra Xico Bizerra e Roberto Cruz Beto Ortiz
meu coração se enfeitou de alegria
e a poesia fulorô o meu viver
e lá em cima o céu inteiro festejava
a nova estrela que chegava
anunciando o teu nascer

te preparei um ninho cheio de ternura
com a candura dos sonhos bons de sonhar
guardei prá ti toda a verdade
felicidade de poder te abraçar

e de repente a minha vida é outra
vida que a tua vida veio prá modificar
eu quero estar perto do teu crescimento
em cada momento do teu caminhar

minha criança, meu amor, minha alegria
minha festa, minha vida
presente que deus do céu me mandou
minha fulô, minha benção, minha cantiga
MINHA SAUDADE Ver letra Xico Bizerra/Bráulio Medeiros Xinelo Rasgado
MINHA SAUDADE
Xico Bizerra e Bráulio Medeiros

pedi que a minha saudade desse um nó no tempo
juntei ela com a tristeza e tranquei na gaveta
saí dando cangapé, fazendo pirueta
fui buscar papel, procurar caneta
doido pra fazer um poema pra ti

mas o destino buliçoso remexeu o meu armário
revirou a cena mudou o cenário
e trouxe de volta a saudade pra mim
e agora não sei o que faça com minha tristeza
sou um talvez brigando com a certeza
vou bebendo a dor desaprendendo o sim

eu pinto o sete, rasgo o oito e corto o nove
eu faço tudo, se quiser retalho o dez
invento chuva prum lugar que nunca chove
descubro estradas pra caminhar nossos pés
NÃO ADIANTA Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho
não se apaga aquilo que está escrito
sei que vou levar comigo
para sempre esta saudade
não adianta, sei que é tempo perder
desejar te esquecer,
esconder essa verdade

todo lugar, qualquer cidade ou lugarejo
todoo canto em que me vejo
tá repleto de você

é como se tudo lembrasse o teu encanto
já tô entregando os pontos
vem depressa, vem meu bem querer...
de corpo, alma, coração eu te garanto
traga logo a tua vida, para juntar ao meu viver

eu não vou mais te procurar, não vou
cabe a você agora me encontrar
eu já sofri, eu já admiti
já tirei a tranca da porta pra você entrar

se não eu vou atrás de um novo amor
feito um navio em busco de outro cais
eu já cai, já levantei e vi
mais importante que você, somente a minha paz
NÓS E O RIO Ver letra Xico Bizerra/Bráulio Medeiros Banda Kartuxo
ELE: eu, menino faceiro
sou juazeiro a te namorar
tu, menina malina
és petrolina, és doce luar
entre nossos desejos há rio e ponte
pôr-do-sol no horizonte a nos acovitar
as águas do velho xico
levarão o nosso amor para o mesmo mar

ELA: eu, menina malina,
sou petrolina, teu coração
tu, menino faceiro
és juazeiro, não me enganas não
esse rio que abraça tambem separa
no sertão joia rara de enfeitiçar
as águas do velho xico
farão desse nosso amor um imenso mar

ELE: tu menina, eu menino
somos dois e um só destino

ELA: tu menino, eu menina
somos dois e a mesma sina

ELE e ELA: nas carrancas, segredos medonhos
nossos sonhos num redemoinho
remoendo o passado, a vida, pecados, perdões
zabumbar de atabaques ecoam
celebrando o mistério da vida
a batida do amor tocando nossos corações
NA BARRA DA SAIA Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho c part de Adelmário Coelho
na barra de tua saia e no v do teu decote
me desmancho quando é xote num pedacinho de chão
me arrebento no teu passo no xêro do teu pescoço
fico dez anos mais moço no fungado do baião
essa tua morenice me deixa todo dengoso
boto sal no meu insoso quando tu dança mais eu
teu olhar me enfeitiça
me deixa pra lá de tonto pode vir que eu to é pronto
presente que deus me deu ...

pode vir, amor por favor não se demore
e antes que eu implore, venha logo me alegrar
vem, vem, vem amor
pra reinar no meu terreiro
vem depressa, bem ligeiro me fartar com teu olhar.
NA BODEGA DO QUERER Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho
eu tava indo pra bodega do forro
lá no bodocó na festa de são josé
quando avistei uma morena brejeira
tão dengosa, tão faceira, do jeitim que a gente quer

os ‘oin’ dela dizendo quer forró
e nesse forrobodó nós caímos no baião
o sanfoneiro parecia animado
o salão bem alisado, e o ‘clarin’ do lampião

a brincadeira tava ficando bonita
ela enfeitada de xita dava gosto de se ver
e eu já pensando nas fartura de abraço
dei o nó puxei o laço na bodega do querer

ai de tu, se apagar o candeeiro
ai de mim, se ele não se apagar
ai de tu, se o sanfoneiro tocar muito
ai de mim, se ele não souber tocar
ai de tu, se o salão tiver lisinho
ai de mim, se for preciso alisar
ai de tu, se for embora comigo
eu assumo o prejuízo custe o tanto que custar
NA MEDIDA Ver letra Xico/Gennaro/Andre Galindo Território Nordestino
você, amor, não sobra nem falta
tem a medida exata dentro do meu coração
você, amor, que chegou bem devagarinho
tomou conta do meu ninho me banhou de emoção

não vou dizer que você é demais
pois tudo que é de mais em você não sobra
não vou dizer que você é de menos
porque menos é tão pouco e pouco é raro em você

por isso digo você é apenas tudo
me deixa mudo, completa meu bem querer
mulher, amada, criatura abençoada
minha paz tão desejada és a razão do meu viver
NEGO DAGUA Ver letra Xico Bizerra e Selma Santos Rosaura Muniz
atravessei de petrolina a juazeiro
velho chico viu primeiro
meu amor em pleno cio
depois voltei juazeiro a petrolina
cantei u’a canção menina
pras águas daquele rio

na agua doce do tamanho de um mar
o olhar do nego d'agua estava ali a me olhar
um sentimento foi chegando, se achegou
nego d'agua me sorria e uma lágrima brotou

velho chico já sabia que a minha alegria
ora estava em pernambuco ora estava na bahia

oh nego d'agua, me leva pr’onde tu for
sentimento é o que se guarda nas carrancas do amor
oh velho chico, foi tão bom te encontrar
conhecer o nego d'agua nas águas de um quase mar

velho chico, já sabia. coração quase maluco
ora estava na bahia ora estava em pernambuco
NEGREIROS Ver letra Xico Bizerra Edilza Aires
oh, águia do oceano, albatroz
abre tuas asas sobre nós
carrega-me pra longe daqui
galopa, voa, não me deixe ver

por sobre tanta água brinca o luar
no branco desse brincar essa negra dor
negreiro, navio que vem do outro lado do mar
xicotes que açoitam a alma de homens de cor

gente com a pele da noite num circo de horror
desamor de algemas na boca de quem quis cantar
velas abertas, de onde vem, para onde vão?
sem luz, sem ar, sem razão, meu deus, onde esta?

onde estão os heróis do velho novo mundo?
que não arrancam o pendão desses ares?
onde estão os andradas, colombos?
que não fecham as portas de seus mares?
NOS SALÕES DO FORRÓ Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho
botei meu linho mais bonito,
fui correndo pro granito pra dançar forró
em bodocó eu entrei na festa,
e de belém ate floresta, era gente que dava dó.

quando dei fé de mim, já tava em parnamirim, depois em exu
de serrita pra belmonte , eu fui ligeiro
prum samba lá em salgueiro, e outro em tacaratu
me deu bem foi em araripina, e ao chegar em petrolina,
eu tornei a namorar
fui passeando e forrozando em cabrobó e ao som do juá forró,
brinquei ate o sol raiá

em caruauru eu dancei tanto que só vendo,
mas ainda tô querendo, festejar na capital
dos cafundó ate a sala de reboco, arre égua
seu arlindo, zé nabo e abidoral
NOSSO QUINTAL Ver letra Xico Bizerra e José Arimatéia Sevi Nascimento
eu vou sair e vou levar comigo
o meu amigo que se chama violão
que não me deixa em nenhum momento
e é o adoçamento de toda minha canção

eu vou com ele debaixo do braço
e o meu abraço ele nunca verá igual
vou fazer choro, com todo decoro
na sombra da mangueira do nosso quintal

e lá encontro com o velho cavaquinho
com a flauta, o pandeiro, com o surdo e o bandolim
e tem o sax com seu toque tão brejeiro
soprando um choro maneiro alegrando o festim

não me interessa se a noite já se chega
tem alguém que se ameiga do meu lado a me olhar
e vou ficando, vou tocando, vou sorrindo,
vou chorando, vou ouvindo, vendo o tempo passar
e vou vibrando, pixingando, escapulindo,
caprichando, seduzindo, remexendo a chorar

amor, amar, amar, amor
tem violão, no chororô e um bandolim para chorar
amor, amar, amar, amor
nosso pandeiro, já pandeirou e o som da flauta a flautear
‘seu’ cavaco se achegou
lá vem o sax conjugando o verbo amar
NUNCA SINTA MEDO Ver letra Xico Bizerra, Guido Martini e Gabriel Tauk Tribo de Gonzaga
minha maria aramaica
que foi botão e hoje é flor
depositária do amor
bailarina dos meus sonhos
ficam meus olhos tristonhos
quando de mim se afasta
carinho que nunca basta
te darei a vida inteira
porque és a fazedeira da ternura que há em mim

não sei viver sem teu olhar
mirantes dos meus olhos
vou te fazer acreditar
nada vai nos separar
nunca sinta medo

minha aramaica maria
ès mia e és a maior
que desatas meus nós
benditas águas de março
o gosto do teu abraço
é tão doce quanto o mel
se estás perto, estou no céu
quando longe, é um suplício
tu és para mim o início
da ternura que nunca tem fim
O BOM ZACARIAS Ver letra Xico Bizerra/Bebe Natercio Irah Caldeira
o bom zacarias
tinha os dias seus
todos dedicados ao serviço de deus
vivia a tristeza
da vida sem brilho
pois a isabel não podia ter filho

não poder ter filho era o martírio de isabel
já naquela idade não teria
mas a sua crença ecoou nos céus
e na fé em deus tudo se cria
o filho de isabel será ele o pregador
preparando o mundo pro amor
abrindo o caminho para a redenção
para o mundo ser do amor cristão
O CHEIRO DO CHEIRO DELA Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho
trouxe comigo o cheiro do cheiro dela
e uma aquarela com as tintas do amor
trouxe comigo o calor do seu abraço
e um traço colorido feito com lápis de cor

meu matulão veio cheinho de saudade
e de felicidade por te conhecer
trouxe o que pude na minha lembrança
e uma carrada de esperança de que ainda vou te ver

eu só não trouxe o meu amor
esse eu deixei guardado contigo
mas qualquer dia, a qualquer hora, eu vou buscar
seja onde for
o teu abraço, o teu beijo, o teu ombro amigo

o que eu trouxe comigo
foi o brilho do teu olhar
o afagar gostoso do nosso carinho
trouxe a estrada, o caminho, eu trouxe o mar
e a certeza que vou voltar
o que eu trouxe comigo
foi um lindo relampejar
o cheiro do cheiro do nosso ninho
trouxe a madrugada, as estrelas, eu trouxe o luar
e a certeza que vou voltar
O DISCO DE GONZAGA Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho
quando ela disse qu’ia embora
eu pensei: é lorota, não acreditei
ela arrumou os cacarecos,
bugigangas e bregueços e eu nem liguei

ela tava decidida, arretada, p da vida
quando me deixou
até o disco de gonzaga
que eu tanto gostava, a danada levou
o passarinho, a gaiola, minha rede,
a radiola e o despertador

eita mulher geniosa essa que eu fui arrumar
nunca aceitou o meu cigarro, a cachaça
e nem meu jogo de bilhar

reclama ate da resenha com os amigos
na mesa do bar
me deu o fora, se mandou e foi embora
pra nunca mais voltar

a saudade é grande, a tristeza é danada
fico acordado até de madrugada
pastorando a solidão

volta amor
e nessa volta por favor me traga
aquele velho disco de gonzaga
o resto não traga não, precisa não...

deixe pra trás,
esqueça tudo pela longa estrada
me traga só o disco de gonzaga
e as batidas do meu coração
O MENINO E A MENINA Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho c part de Elba Ramalho
a dor em cada esquina
se reflete na retina da menina no sinal
ou no olho do pivete
que me vende seu chiclete numa noite de natal
e essa chuva que não passa
desenhando na vidraça o clamor da natureza
a dureza dessa lida no balé do para-brisa
porta sonhos de tristeza

quem dera se essa dor passasse agora
quem dera não ouvir choro La fora
buzinas e faróis nessa neblina, o menino e a menina
quem dera ver o sol poder se abrir
quem dera só ouvir alguém sorrir
o menino seu amor poder cantar
e a menina nunca mais querer chorar
O POETA E O CARTEIRO Ver letra Xico Bizerra/Bráulio Medeiros Osmando Silva
zeca eleuterio, de passagem por floresta
enganchou-se numa festa na casa de seu tata
enrabichou-se por rosinha de amadeu
dançou que o pé doeu findou por se apaixonar

e tome carta, dia e noite, noite e dia
tome muita agonia, saudade da caboclinha
até poema, zeca se inspirou e fez
quase endoideceu de vez se alembrando de rosinha

e a rosinha, mulata muito encorpada
sentindo que era amada garrou a se arrumar
era perfume, fita e vestido novo
já desconfiava o povo que ela tava pra casar

zeca eleutério, já de munheca doída
de tanta carta escrevida não deu um tiro certeiro
porque rosinha, tão bonita, coxa farta
de tanto receber carta se apaixonou pelo carteiro

zeca chorou, a noite toda, o dia inteiro
o pobre não teve sorte
perrdeu carta e envelope e a rosinha pro carteiro
O QUE SERÁ DE MIM? Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho
o que será de mim, das flores do jardim,
o que será do ar, do ar, do ar
tentei, não consegui ver,
o que será de mim quando crescer
o que será do mar?

o que será das flores e suas cores,
dos amigos, dos amores
se ninguém se preocupa em cuidar?
o que será do céu e das estrelas,
hoje ainda posso vê-las
mas ate quando eu vou poder enxergar?

não sei se mereço esse mundo
não sei porque o poço é profundo
só me resta fazer a minha parte

tentar, clarear o escuro
lutar pelo nosso futuro
e buscar realmente uma paz de verdade

o que será de mim, das flores do jardim,
o que será do meu chão, meu chão, meu chão
é triste espiar morrer,
o mato que eu nem vi crescer
o que será do meu sertão?

o que será dos rios e afluentes,
dos bichos inocentes
se ninguém se preocupa em cuidar
o que será de nós daqui pra frente,
das chapadas e nascentes
ate quando eu vou poder me banhar?
O TEMPO TEM PRESSA Ver letra Xico Bizerra/Braulio Medeiros Adelmario Coelho, Maria Lafaete
ninguém tem direito de acordar um sonho que sequer sonhou
não cabe em meu peito colher lavoura que não se plantou
exijo respeito, não fale de amar se jamais amou
não brinque de deus com a minha dor
não queira milagre sem pagar promessa
o chão é estreito, não queira ser campo se nem grão tu és
repare a estrada em que pisei meus pés
aprenda o caminho que o tempo tem pressa

não adianta puxar o tapete, cortar o punho da rede
que eu já sei me balançar
o que eu não posso é aceitar intriga, sou de paz, não sou de briga
é só você não me assanhar
faz tanto tempo, pra mais de um ano
que eu costuro o pano e a roupa não sai
eu vou à luta e não entrego os pontos
se vale a pena eu conto e reconto
o meu sorriso vai andar comigo, nasci pra cantar
de onde eu vim escuro não faz medo
vou ser feliz, mais tarde ou mais cedo
meu coração já se apronta pra de novo amar
O TERREIRO DOS MEUS ÓI Ver letra Xico Bizerra Jorge Neto
o terreiro dos meus ói
tu vives a aguar
não sabes o quanto dói
tanto tempo a te esperar
um segundo é um ano inteiro, milênios de solidão
a saudade é um formigueiro roendo meu coração

vem-se embora que eu tô te esperando
não importa até quando o que interessa é tu chegar
vem depressa que meu peito já não agüenta
vem trazer a água-benta pra dar jeito em meu penar

vem pra cá, desengaiola a alegria
vem trazer tua magia, minha vida ‘tá um breu
és água doce, bem dormida na quartinha
vem pra nossa camarinha, vem botar sentido n’eu
OFERENDA Ver letra Xico Bizerra/Bebe Natercio Irah Caldeira; Bebé de Natércio
te trazemos doses dessa mãe natura
somos criaturas a te assemelhar
trazemos as flores os frutos os cheiros
e os mais certeiros bosques do amar

te trazemos todo perfume da serra
trazemos da terra os seus frutos bons
da felicidade temos a semente
que é pra nossa gente provar dos seus dons

e que o cheiro das manhãs
habite toda imensidão
e que a paz inunde o nosso coração
ONDE MORA O MAR Ver letra Xico Bizerra e Roberto Cruz Edilza Aires - Roberto Cruz c Part Abissal
por sobre a terra num baque virado
nordestinado, vida desafio
no eterno cio desse navegar
o rio é quem sabe onde mora o mar

pergunto pro rio onde mora o mar
ele me responde: - do lado de lá

muito acima da sombra da ponte
adiante da casa onde o sol se esconde
do outro lado de onde vem o cântico
de quem foi rio e se pariu atlântico

se avizinhou do nosso querer-bem
além da esquina do além do além
num poço fundo, mais que o próprio chão
e tão profundo quanto essa canção

pergunto pro rio onde mora o mar
ele me responde: - do lado de lá

oh!capibaribe de pele escura
tua cor se mistura, sagradeia o mar
me deixa cantar-te, ó rio-oceano
meu rezar profano te oferendar
OS PASTORES E O MENINO DEUS Ver letra Xico Bizerra/Bebe Natercio Território Nordestino - Bira Delgado - Lourival Junior
os pastores levaram o seu rebanho
para ver o menino que nasceu
a promessa de deus tava cumprida
o que prometera aconteceu

na manjedoura nasceu o deus menino
salve salve o menino deus

e a luz da felicidade
fazia seguirem a estrela guia
se ajoelham para o novo divino
o menino deus, josé e maria
já que por tanto tempo ele foi esperado
chegou e trouxe muita alegria

para o mundo baixou a nova luz
da chegada do nosso salvador
muitas flores encheram os jardim
para dar boas-vindas ao pastor
é um tempo tão bom de esperança
de alegria, de paz e de amor
PANDEIRO DOIDO Ver letra Xico Bizerra e Roberto Cruz Roberto Cruz c Part Silverio Pessoa - Roberto Cruz c Part Marrom Brasileiro
coco coqueiro, coqueiro, coco de roda
roda coqueiro, coqueiro, torna a rodar
pandeiro doido, ciranda, beira da praia
caia no coco não deixe o coco quebrar

esse coco pop, essa vida shoping
esse rock trop, tropical de alceu
chuva na praia banhando a boca da noite
olha o açoite do coco que canto eu
e pela goela desse um gole de cachaça
bendita graça de uma raça a cantar

rimando a vida, vivendo de embolada
dando risada, sorrindo pra não chorar
PAPEL DE CONFEITO Ver letra Xico Bizerra e Junior Vieira Flávio José-Canarinhos do Forró-Jane Lima-Kartuxo-Forró Kentão-Ant Paulino-Nerilson Buscapé-Gean Mota c Part Nádia Maia-Flor de Croatá-Gena de Altinho-Ribeiro Filho-Orlando Monteiro-Ronaldo Aboiador-Toinho de Surubim-Karoline Maciel-Zé Mário Drums-Claiton Diogenes-Tamborete de Forró-Forrozão Baião de Dois-Os Tres Parentes-Nerynho do Forró-
eu te dei o meu amor maior
do tamanho que cabia dentro do meu peito
me deste em troca um amor tão pequeninho
quase nada, embrulhadinho num papel de confeito

não carecia tanta pena d’eu
meu coração percebeu o que você queria
zombou de mim, pintou e bordou
abusou e me ofertou essa ninharia

ai, amor
já aprendi viver sem nada
já surrei ponta de faca,
dei o lombo prá estaca, já levei muita lapada
bobinha, que tolice a tua
me dar esmola de amor
não pense que eu sou moleque de rua
PELOS CANTOS DA CASA Ver letra Xico Bizerra e Maciel Melo Maciel Melo - Kelly Rosa
a saudade invadiu a minha casa
pelas brechas da alma foi entrando
se espalhou pelos cantos, foi ficando
a tristeza emplumou-se, criou asas
fez um ninho, ciscou, espalhou brasas
e a este escarcéu fui me entregando
vejo vultos velozes vagueando
uma lágrima de quando em quando vaza

e os meus olhos pingando, olhando as telhas
minhas lentes de contato estão vermelhas
pois vermelha é a cor dessa paixão
saudade é um amor que de longe se retrata
é um carinho distante que maltrata
é um aperto que dá no coração

abri a porta, tirei a chave e a tramela
e na janela, um bilhete dizendo: pode entrar
que esta saudade faz tempo que me devora
não vejo a hora de poder recomeçar
POÇO VERDE Ver letra Xico Bizerra e Bráulio de Castro Maciel Melo
num poço lindo que a noite esverdeia
que a lua cheia lhe empresta o brilhar
deixei meu sonho pendurado em suas águas
e minha mágoas no canto do meu olhar
qual cabocla que chorava de saudade
felicidade foi pra longe e não voltou
mas quero ver esse meu poço iluminado
meu bom bocado da beleza que ficou

se a cachoeira que derrama água no poço
num grande esforço derramasse o rosto dela
uma aquarela se faria tão bonita
muito mais linda que a mulher mais bela
e o caboclo, que sou eu, lá voltaria
daria um beijo na cabocla me esperando
no poço verde banharia a alegria
só indo embora com a cabocla me amando

poço verde
da mesma cor dos olhos da cabocla linda
se ela viesse pra matar a minha sede
eu ficaria muito mais feliz ainda
PROCÊ NÃO CHORAR Ver letra Xico e Adalberto Cavalcanti Irah Caldeira
sou esse bandolim, amigo-irmão do cavaquinho
desde sempre me alinho ao camarada violão
proseio com o pandeiro, grande companheiro
e vou colhendo as harmonias bem dentro do coração

bemóis e sustenidos lá no fundo do meu peito
provam que o amor-perfeito faz a gente se alegrar
por isso é que faço acordes com tanto carinho
e vou tocando esse chorinho pr’ocê não chorar

sou esse bandolim recém-casado com a flauta
que em toda serenata se enamora do luar
tem um surdo que é sisudo mas não fica mudo
compassa alegrias juntas com meu tremular
me chamam mandolina mas não é esse meu nome
só sei que a tristeza some se ficas a me escutar
por isso é que vou estar sempre em teu caminho
e vou tocando esse chorinho pr’ocê não chorar

de nazaré a lacerda, pelas noites cariocas,
toco brejeiro em odeons
sapato novo que o andré, ingênuo, descalçou
naquele jogo que tava um a zero e empatou

te ofereço, meu amor, do céu um pedacinho
delicado ninho a te abrigar
num canto de lamento que é tão brasileirinho
carinhoso é meu chorinho pr’ocê não chorar
QUE NEM BOCA CAIEIRA Ver letra Xico e Reinivaldo Pinheiro Reinivaldo Pinheiro - Chico Bala - Gláucio Costa
Meu coração ‘tá feito boca de caieira
ta que nem uma fogueira numa noite de são joão
ta roendo, ‘tá querendo dengo,
ta que nem um maulengo mole-mole de paixão

venha correndo que eu tô que não me aguento
vem por fim a um sofrimento
faç’isso comigo não
venha depressa que eu tô lhe esperando
não me importa até quando
o que interessa é tu chegar
venha amuntada num raio dum relampejo
que eu guardei mais de mil beijos
pra hora de te beijar

e tome cheir, arrasta-pé a noite inteira
você vai ver o nosso amor se ‘agasaiar’
nós dois juntinhos numa eterna brincadeira
feito criança nos terreiros de iaiá
QUERO MEU SERTÃO DE VOLTA Ver letra Xico e Reinivaldo Pinheiro Ilana Ventura
não tem mais tropeiro, nem um sanfoneiro em dia de feira
não tem chão batido, um assar de milho, brasa de fogueira
foi-se a poesia, cadê cantoria, ‘quêde’ o sabiá?
ta faltando abraço, da noite um pedaço pra se namorar

procurei, em vão, um balanço bom, saudade da rede
água bem friinha, vinda da quartinha matar minha sede
e o florar do mato destroçado insiste em não frutificar
oh! meu padim ciço, tanto rebuliço, não dá pra esperar

quero é brincar no terreiro,
da chuva sentir o cheiro, quero abrir a porta
pr’um sorriso verdadeiro,
não quero dinheiro, quero meu sertão de volta

onde esta a flor, onde esta o amor, onde esta? não sei
o asfalto esconde as pegadas das veredas onde andei
até a lua branca de tanta vergonha foi se esconder
se o progresso é isso, disso eu não preciso, eu quero é viver

cadê a natureza? não tem mais pureza nesse meu sertão
só se ouve verso no caminho inverso da minha canção
e o vaqueiro forte, procurando a sorte, se pega a rezar
purgando o castigo de um povo tangido a se humilhar
REPARE Ver letra XICO BIZERRA e FELIPE JUNIOR VOZES DO FORRÓ
Pra que dizer
Que o nosso amor foi tão bonito e sincero
Se, na verdade, nem você quer nem eu quero
Juntar os cacos que restaram de uma história a dois
E vem depois
Se arrepender do que foi feito com a paz
Por isso, eu peço: Siga em frente e não olhe pra trás
Que eu sigo num caminho diferente

Se por acaso,
Alguém sentir que essa separação
Foi catucando o nosso coração
E depois ver que foi estupidez,
Repare
Que o rio corre pra beirar do mar
E para isso tudo se ajeitar,
Só basta a gente se ajeitar de vez
RESTOS DE SAUDADE Ver letra Xico e Alcymar Monteiro Alcymar Monteiro
restos de saudade na avenida
cacos de esperanças pelo ar
fim de uma festa, de u’a vida
sobras de um frevo que não se quer cantar

risos ancorados na lembrança
máscara a esconder o meu o chorar
sonhos só sonhados numa dança
um beijo que se foi antes de me beijar

saudade que dói, machucando a gente
beijo fugente, nem um acenar
dor do adeus, fruto só semente
abraço vadio, não deu tempo me dar

na quarta feira, logo que a festa acabar
vou sair, vadiar, vou brincar de amor com você
não vou deixar o outro carnaval chegar
pra recifolindar, pra te dar todo meu bem querer
RISO DE CANTO A CANTO Ver letra Xico Bizerra/Bráulio Medeiros Bira Delgado - Adelson Viana
além dos anjos de verdade não existem anjos a não ser você
cuidando da minha vida, me dando guarida, a me proteger
e o paraíso de que falam se não tem você, não é paraíso
por isso a minha alegria quando encontro o teu sorriso num amanhecer
riso de canto a canto é canto que acalanta o amor que preciso

riso de canto a canto quando teu sorriso invade a manhã
com olhos de amor e mãos de tecelã
desfiando o dia que ainda vai nascer
riso de canto a canto fartura de carinho, safra garantida
presente de deus para minha vida
chuva de alegria, tempestade de prazer
ROBERTO ZOADEIRO Ver letra Xico e Roberto Medeiros Roberto Medeiros (Quinteto Violado)
sou roberto, o zoadeiro
toco ganzá e pandeiro
pra animar a nossa gente
e se o povo quer dançar
eu me dano a zabumbar
nem preciso de aguardente
ROSA MORENA ROSA Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho
rosa é bonita e é também maria
tem pés de ventania e doçura no olhar
carrega no cabelo as cores da alegria
quanto mais olho pra rosa,
rosa teima em não me olhar

ela é uma rosa e é também morena
tem cheiro de açucena no seu colo a fulorar
veste um vestido que tem a cor do seu nome
toda vida a rosa some quando vou lhe procurar

ela é uma rosa e é também mulher
todo cabra sonha em ter essa rosa no jardim
quanto mais eu digo sim,
ela diz que não me quer.
ela é uma rosa e é também canção
sei que um dia ainda vou ter essa rosa ao natural
perfumando o meu quintal,
desabrochando em minhas mãos
SAUDADE DANADA Ver letra Xico Bizerra Aécio dos 8 Baixos
bateu no peito uma saudade danada
da coisa amada, do meu pé de fulô
que foi embora, sem sequer me dizer nada
feito fada encantada que um dia se encantou

e me deixou ‘garrado com a solidão
plantou no meu coração, tristeza, desalegria
e eu chorando, dia e noite, noite e dia,
faz tempo que eu não sabia o amargo dessa dor
me deixou triste, sem rima pra poesia
me mostrou quanto valia ser feliz, ter um amor

vem amor, bem querer
vem e traz de volta a alegria, acaba com essa agonia, vem me desentristecer
vem amor, vem paixão
vem me dizer que eu inda sou o que já era vem por fim a minha espera
vem me dar teu coração
SE A TRISTEZA Ver letra XICO BIZERRA e MARIA DAPAZ TOMFIL
se a tristeza bater na minha
porta diga, por favor, que eu não estou
invente uma mentira, qualquer coisa, não importa:
que eu me mudei, que eu sumi, que eu viajei com meu amor
pode ser que ela venha disfarçada
perfumada com o aroma da alegria
cuidado, não abra, deixe a porta tramelada
se ela entrar vai começar de novo a minha agonia

diz que eu fugi de casa e que ninguém sabe pra onde
que eu peguei um bonde com o destino do luar
engana ela, desconversa, engabela manda ela ir embora
faça alguma coisa,
mas pelo amor de deus não deixa ela entrar
SE E POR FALTA DE ADEUS Ver letra Xico Bizerra Joana Angelica
se é por falta de adeus, amor
tome aqui um ‘va-s’imbora’
pode ir pra bora-bora, juazeiro, escandinávia, noruega ou japão
meu coração desaprendeu a ficar sofrendo
por isso e que eu tô dizendo
se é por falta de adeus, adeus

mas se ‘ocê quer voltar, amor
tome aqui um ‘venh’imbora’
venha logo, sem demora, que a porta ‘tá aberta, te espero no portão
meu coração já esqueceu aquela nossa intriga
só peço nunca mais me diga
pelo amor de deus, adeus

é tão bom nós dois aqui juntinho gozando a vida
sem despedida, do meu lado tu acalentando os sonhos meus
é tão gostoso esse nosso amor, a gente se abraçando
a vida vai passando, e fica se afastando o tempo do adeus
SEGUNDOS E ERAS Ver letra Xico Bizerra e Anchieta Dali Paulinho Leite e Anchieta Dali
Deixa pra mim teu domingo e os outros dias da semana
Deixa esse vento que emana embalar o meu sonho, cair sobre mim
deixa o teu mundo, tuas horas, minutos, segundos e eras
se transformar em quimeras, cheiro tão bom, flores de alecrim

deixa o ponteiro do tempo girar ao sabor da alegria
deixa que o dia anoiteça com toda a preguiça que a tardinha tem
deixa que o verde do mar se transforme na cor do infinito
deixa ficar mais bonito esse azul tão bonito que lá do céu vem

E eu só deixo contigo um pouco de mim, quase nada
U’a viola cansada, um poema e uma flor
E eu só deixo contigo um tudo de mim, minha vida
Um peito de acolhida e todo o meu amor
SEM EIRA NEM BEIRA Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho de Bodocó, Maria Lafaete
vou te pegar, paparicar, dar nó
usar cipó imbira pra amarrar
te cortejar, te dedicar um forró
fazer você nas nuvens viajar

vou fazer versos e cantar na feira
casar na igreja e tambem no papel
é que eu não sou, mas um sem eira nem beira
acabou-se a brincadeira
de viver ao léu
é que eu não sou, mas um sem eira nem beira
sendo dessa maneira
eu tiro o meu chapéu

misturo o meu suor
com a minha sanfona
pra conquistar a dona do baião que eu vou tocar
se melhorar estraga esse forró
vem pra cá meu xodó
vamos namorar
SETE SAUDADES Ver letra Xico Bizerra/Braulio Medeiros Yran Palmeira
meu bem-querer ‘tá na garupa da saudade
que o peito invade e corta mais que canivete
se eu encontrasse um jeito de apressar o tempo
chegava aos oito sem precisar contar sete

há sete sóis que eu ‘tô te esperando
faz sete luas que aqui você não vem
sete saudades povoando as minhas tardes
sete vontades de encontrar você, meu bem

são sete cores qu’eu guardo pra te enfeitar
sete sabores dos mais nobres que eu já vi
há sete vidas que eu tenho pra te dar
sete pecados pra pecar junto de ti

sete pedaços de um coração partido
sete gemidos sem ato de contrição
sete meninas de domingos e toinho
sete sanfonas a tocar xote e baião

sete verdades brigando com as mentiras
sete embiras dando nó no coração
sete novenas aguardando o milagre
sete mil acres de tristeza e solidão

são sete notas, segredos a sete chaves
são sete aves acoitando o nosso amor
sete arco-iris descolorindo u’a vida
sete partidas, sete jardins sem ‘fulô’
SEU BRINQUEDO Ver letra Xico Bizerra e Roberto Cruz Andrezza Formiga
a noite inteira quero ficar com você
na brincadeira até o dia clarear
de pega-pega, esconde-esconde, de carinho
agarradinho brincando de namorar

se balançando no balanço do amor
imbalançando o coração vamos brincar
e se for sonho eu quero ficar sonhando
não me acorde pro sonho não acabar

faça de conta que eu sou o seu brinquedo
venha sem medo pra brincar com meu amor
use e abuse do meu colo, do meu beijo
do meu desejo, meu carinho e meu calor
SOL OU LUA Ver letra Xico Bizerra e Maria Dapaz Maria Dapaz
será sol ou lua, será gente
o que hoje é semente amanhã vai ser pessoa

e não importa se menino ou menina
essa coisa pequenina vai ser coisa muito boa

vai chegar com alegria, luz e paz
vai trazer o tudo mais que a gente sempre quis
poesia e melodia no meu tom
adoçando o que é bom
me ensinando a ser feliz
SOU TOINHO Ver letra Xico Bizerra e Toinho Alves Toinho Alves (Quinteto Violado)
sou toinho,
contra-baixo lá do mato,
cabra macho
me chamam nordestinado
tenho a alma festeira
de segunda a sexta feira
dia santo ou feriado
TABULEIRO Ver letra Maria Dapaz e Xico Bizerra Maria Dapaz
eu vou beber mil litros de alegria
matar a minha sede com goles de amor
vou festejar a chegação da invernia
me banhar com o doce cheiro desse teu frescor
me embebedar com taças de vinho da paz
te mostrar que sou capaz de te fazer feliz
me empanturrar com doses de carinho
fazer nosso ninho onde eu sempre quis
num tabuleiro, bem no pé-da-serra
onde a terra caprichosa tem um cheiro bom
a vizinhança é a passarada
uma lua, uma estrada, um acordeon
me acordar de manhã bem cedinho
ver o sol escondidinho querendo nascer
e as estrelas ainda a vagar
lá em cima a nos olhar, alumiando um bem-querer
num terreiro salpicado de estrelas
você veio fazer festa no meu coração
o meu olhar abriu logo um sorriso
e o meu juízo perdeu a razão
aquilo era tudo que eu queria
era a alegria que eu pedi a deus
minha tristeza já se derretendo
e eu desaprendendo a dizer adeus
TECELÃ Ver letra Xico Bizerra e Maria Dapaz LEDA DIAS
onde quer que haja um tear
haverá de ter e terá
dedos finos, macios a tecerem seus fios
num trançado bonito, gostoso
prenúncio do gozo nos dedos vadios
dos eternos cios

se um dia houver amanhã
sonharei ter a tal tecelã
prá bordar os meus sonhos
pesadelos medonhos serão só rebarbas e sobras
juntarei minhas dobras com dobras tão belas
perfeita aquarela
e eu, também tecelão
tecerei alegrias pro meu coração e pro dela
TOCAIA DO DESTINO Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho - Fua de Carvalho -
o destino preparou uma tocaia
na esquina em que passou meu coração
bem disfarçado veio num rabo de saia
traiçoeiro que nem bala e deu-me um golpe de paixão

feriu de morte a minha vida
e hoje eu vejo me enganou
me deu um beijo e eu crente que era feliz
depois partiu levou toda a esperança
e eu fiquei feito uma planta preso até a raiz

façisso comigo, não, tenha pena deu
você não pode assim me judiar
tô me sentindo feito um jardineiro
que tem rosa no canteiro e não tem água pra aguar
só sou feliz com você do meu lado

façisso comigo não, vem me dar um cheiro
eu tô doidim pra ver
o teu abraço enrroscado no calor do meu desejo
façisso comigo não, meu bem,
façisso comigo não, meu amor
você é rosa assim cheia de mel
e eu sou seu beija flor

façisso comigo não, meu bem
façisso comigo não, meu amor
eu to doidim pra me fartar de mel
feito o seu beija flor
TODO AMOR QUE HÁ Ver letra Xico Bizerra e Jr de Sousa Bia Marinho - Samuel de Abreu
o céu enluarado beija a água do rio
e a terra no cio deixa verde o chão
onde acendo uma estrela e alumio um clarão
pra apagar dos teus olhos toda a escuridão

tem janela com flores
mangueiras no quintal
lá não moram dores
não se pensa o mal
mesa primavera
nunca falta o pão

e a canção que se escuta
traz a rima das cores
tem sabor de fruta
gosto dos amores
e a lua a fazer renda
recita o verbo amar
meu peito, oferenda
de todo amor que há

teu brilho é o meu farol
TRINTA DE FEVEREIRO Ver letra Xico e Adalberto Cavalcanti Dalva Torres
és trinta de fevereiro
agulha em palheiro, como te achar?
pedi ao meu padroeiro
rezo o ano inteiro, hei de te encontrar

botei a fé na sacola
junto da viola prá te procurar
enfrento toda seca ou correnteza
na certeza de que um dia chego lá
e aí eu troco a tristeza
pela beleza desse teu olhar

os meus ‘oio’ marejou, rio encheu, secou,
da dor, sou meeiro
macambira fez-se flor, mandacaru florou,
e eu, tão roedeiro

mas vou aonde for preciso
não importa o quanto caminhar
eu vou atrás do paraíso,
que é o teu sorriso
que é o teu abraçar
eu vou atrás do paraíso,
levo o meu sorriso sei que vou te achar
UM CANTAR DE AMOR Ver letra Xico Bizerra e Maria Dapaz Maria Dapaz
vou te cantar um canto de amor
que espante a dor e cure a cicatriz
vou te cantar um canto de paz
um canto capaz de te fazer feliz

vou te cantar um canto saudoso
um canto amoroso, meu carinhar
vou te cantar apenas o meu canto
prá espantar teu pranto
prá te alegrar

um canto pra dizer
que és o meu amor
pro mundo saber
que és o meu amor
um canto belo, breve, singelo
que é pra tu saber
que és o meu amor
UMA REDE BOA Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho c part de Maciel Melo; Nerilson Buscapé;
uma rede boa debaixo dum juazeiro
e uma cabocla bonita, no pescoço a cochilar
não tem aperreio pr'esse caboclo faceiro
e nem desmantelo que não venha a se acabar
e se a cabocla for chegada a um chamego
aí é que eu me achego, cheirando o cangote dela
e tome abraço, tome afago, tome cheiro
debaixo do juazeiro, uma rede e eu e ela
e se ela disser que me quer pra namorado
faço um coco amalucado, misturado com baião
um trava-lingua , um coco balanceado
feito um coco travado,
que nem um coco trovão
vem cá cabocla que meu coco tá chamando
segura a cabra que o bode quer pegar
vai lá no coco, tira o coco do coqueiro
e debaixo do juazeiro, meu coco vira cocar.
VEM Ver letra Xico Bizerra e Leninho Leninho
vem, marazular a minha vida
vem, noitestrelar o meu viver
vem, minha flôr, gonzaguear minha cantiga
vem passarinhar o amanhecer.

me trás o sol, pra iluminar o que há em mim
e o arrebol, pra completar minha canção
me traz calor, rosaflorando o meu jardim
e aluz do teu amor,
candeeirando a escuridão.

tu és do meu poema toda rima
e da minha reza credo e fé
lua, emoldurada na neblina
vem ganhar afago e cafuné
VENHA TOMAR CONTA DEU Ver letra Xico Bizerra/Bráulio Medeiros Maria Lafaete
se eu disser que vou embora, amor
por favor não deixe não
segure na minha mão
me cafune um cafuné
venha tomar conta d’eu
se eu disser que vou embora, amor
por favor nem dê ouvido
feche a porta pro escuro
acenda a luz do futuro
e venha tomar conta deu

tô carecido de você perto de mim
tô precisado de você aqui do lado
as vezes falo sem o coração sentir
e o que se fala, não tem volta, ‘tá falado
e se eu disser que desse amor eu não preciso
faltou juízo, pensamento endoideceu
passe a corda na cancela, bote chave e tramela
venha cuidar do que é seu
sem ferrolho ou cadeado
deixe o peito escancarado
e venha tomar conta deu
VIDA E VIDA SEVERINA Ver letra Xico Bizerra e Anchieta Dali Sevi Nascimento
desde quando pequenina que me chamam severina
sementeira do servir
se vi mais forte, não lembro
de janeiro a setembro outubros que nunca vi

sou da brenha, sou da estrada,
sou do tudo, sou do nada, sou da mata, colibri
sou cacimba de alegria, sou rio, sou invernia,
severina, sou sevi

sou cantante, sou toada
sou sertão, sou passarada, sou canto da juriti
sou baião, xaxado e xote, sou água dormida em pote
severina do servir

vida e vida severina
cantar é a minha sina pelas vidas que vivi
sou serena, sou severa, sertaneja, sou ‘de vera’
severina no servir
XOTE DO GRANDE AMOR Ver letra Xico Bizerra e Luciano Nunes Rosaura Muniz
paixão assim não se esconde, não
é fogueira acesa,
amor-correnteza dentro do meu coração
quero que o mundo inteiro
saiba deste grande amor, amor
que é tão puro e verdadeiro
companheiro, irá comigo aonde eu for

faz tanto tempo eu não sentia tanta alegria,
meu beija-flor

eu perdôo o teu jeito de viver
e aceito teu às vezes me esquecer
eu perdôo porque só quando eu estou
nos teus braços é que sei o que é o amor